COOPERATIVA AGROPECUÁRIA CENTRO SERRANA

ROD. PEDRO COLA, KM 4,5 - (28) 3546-1566

VENDA NOVA DO IMIGRANTE - ES

CNPJ: 27.942.085/0042-51

Anilton Meniguite

A REGIÃO

A COMUNIDADE DE TAQUARUSSU ESTÁ LOCALIZADA NO DISTRITO DE CASTELINHO, EM MEIO AO RELEVO FORTEMENTE ONDULADO E MONTANHOSO. O MUNICÍPIO DE VARGEM ALTA-ES PROMOVE O USO SUSTENTÁVEL E A CONSCIÊNCIA PRESERVACIONISTA E CULTURAL NA REGIÃO QUE POSSUI CARACTERÍSTICAS PROPÍCIAS AO ECOTURISMO.
 

A REGIÃO DE CLIMA AMENO FOI COLONIZADA POR IMIGRANTES ITALIANOS, QUE ABRIRAM CAMINHO ÀS MARGENS DA ESTRADA QUE ATUALMENTE DÁ LUGAR À RODOVIA ES-164.
DE LÁ, 139KM DA CAPITAL CAPIXABA, VEM CAFÉS TÃO ESPECIAIS QUE A SERIEMA ESCOLHEU A FAMÍLIA DE ANILTON MENIGUITE PARA OCUPAR O LUGAR DE ANIMAL DE ESTIMAÇÃO. É TÃO DESENVOLTA QUE OS CACHORROS DA PROPRIEDADE ACABAM COMO MEROS OBSERVADORES.

O SÍTIO FRUTEIRAS

A PROPRIEDADE QUE ANTES ERA CHAMADA DE SÍTIO DA VOVÓ FOI HERDADA EM 2006. JÁ EM 2010 “EU CONSEGUI ADQUIRIR UM MAQUINÁRIO, DESPOLPAR O CAFÉ E DESDE ENTÃO, TODO ANO EU TENHO UM PREMIOZINHO”, RI O PRODUTOR ENQUANTO RELATA OS PRÊMIOS E O SONHO DE MODERNIZAR O TRATO PÓS-COLHEITA.
 

A APTIDÃO DO TERRENO, QUE POSSUI VARIAÇÃO DE ALTITUDES DE 750M A 950M, FOI PERCEBIDA LOGO NO PRIMEIRO ANO DE DESPOLPA DOS FRUTOS, PROCESSO QUE POSSIBILITA A PRODUÇÃO DE CAFÉS ESPECIAIS.
O SÍTIO FRUTEIRAS É COMPOSTO POR 4 PROPRIEDADES. COM 25 HECTARES PLANTADOS, O PRODUTOR BENEFICIA DE 900 A 1000 SACAS A PARTIR DOS 60MIL PÉS DE CAFÉ, EM MAIORIA DA VARIEDADE ARÁBICA CATUAÍ 81.

A PRODUÇÃO

A FLORADA NO FRUTEIRAS COMEÇA NO FINAL DE OUTUBRO COM AS “FLORADAS DE PONTEIRA” E ASSIM, A CADA 15 DIAS, ELAS FLORESCEM ATÉ DEZEMBRO. A MELHOR FLORADA RECOMEÇA EM FEVEREIRO E VAI ATÉ MARÇO, DANDO ORIGEM AO CAFÉ MAIS BEM PONTUADO DO SÍTIO FRUTEIRAS. OS FRUTOS FICAM MAIS TEMPO NA PLANTA E SÓ SERÃO COLHIDOS EM OUTUBRO E NOVEMBRO.
 

O CONCEITO DE LAVOURA FAMILIAR E SUSTENTÁVEL É SEGUIDO À RISCA NO SÍTIO DO PRODUTOR MENIGUITE. SÃO 4 FAMÍLIAS ZELANDO PELA PRODUÇÃO DE CAFÉS ESPECIAIS EM COLHEITA SELETIVA, CONFIRMANDO QUE AS ORIENTAÇÕES PASSADAS POR ANILTON TEM SIDO RECOMPENSADAS COM A DIVISÃO DOS LUCROS DA PRODUÇÃO E PREMIAÇÕES.
 

O CLIMA AMENO TEM SIDO UM GRANDE ALIADO NA PRODUÇÃO DE BEBIDAS FINAS. MESMO COM A ESCASSEZ DE ÁGUA EM DIVERSAS REGIÕES, O PRODUTOR FICA SEGURO DE PRODUZIR CAFÉS ESPECIAIS. EM TAQUARUSSU, HÁ UM PERÍODO DE SECAGEM MAIS EXTENSO. NO INVERNO, DE JUNHO A JULHO, O CAFÉ LEVA ATÉ 30 DIAS PARA SECAGEM E DEVE SER MEXIDO NA ESTUFA DE 30 EM 30 MINUTOS PARA EVITAR MOFO, PRINCIPALMENTE NOS CANTOS DA ESTUFA.
 

QUANDO FALAMOS EM TECNOLOGIA DE PRODUÇÃO, ANILTON POSSUI A RESPOSTA NA PONTA LÍNGUA: “NO INÍCIO, MEU PROCESSO DE INOVAÇÃO FOI FEITO EM PARCERIA COM UM VIZINHO. NO ANO SEGUINTE JÁ CONSEGUI INVESTIR NO MEU PRÓPRIO MAQUINÁRIO, ME RENDENDO ATÉ 40% A MAIS. ISSO ME MOTIVOU A CONTINUAR PRODUZINDO CAFÉS ESPECIAIS. APRENDEMOS A CUIDAR BEM DO CAFÉ PARA NÃO PERDER PONTUAÇÃO. ANTES, CHEGAMOS A “RESSOLAR” CAFÉ POR NÃO TER GUARDADO ELE NO PONTO. ÀS VEZES TEMOS QUE APANHAR PARA APRENDER”, RELEMBRA.

A FAMÍLIA DE ANILTON

ANDERSON, O FILHO MAIS VELHO DA FAMÍLIA, RESSALTA A IMPORTÂNCIA DO CAFÉ EM SUA HISTÓRIA E DE SUA FAMÍLIA: “O CAFÉ É TUDO NA MINHA VIDA, SEM ELE NÃO TERIA SAÍDO PRA FAZER FACULDADE”.
OS OUTROS DOIS FILHOS NÃO PENSAM EM DEIXAR A FAMÍLIA NEM A PRODUÇÃO DE CAFÉS. ANDRIELSON (14) QUER SEGUIR O EXEMPLO DOS PAIS CONTINUANDO NA LAVOURA, PROCURANDO FAZER ELA TER AINDA MELHORES RESULTADOS: “O CAFÉ É A ÚNICA RENDA QUE NÓS TEMOS, SEM ELE NÃO TEM COMO VIVER”.
A ÚNICA FILHA DO CASAL, ANDRIELI (16), PASSOU NO VESTIBULAR E ESTUDARÁ FISIOTERAPIA EM CACHOEIRO DO ITAPEMIRIM-ES. MESMO ASSIM, RELATA QUE QUER VOLTAR TODOS OS DIAS PARA CASA. JUNTO DE SUA MÃE AURENI, A JOVEM TAMBÉM AUXILIA NO CUIDADO COM O CAFÉ.

INFORMAÇÕES DA FAZENDA

 

Altitude

750 a 900 metros

Processo de produção

Colheita manual seletiva

Variedade do lote

Arábica Catuaí 81

Período de Colheita

Maio a Novembro

Processamento

Via úmida - Cereja Descascado

Secagem

Terreiro coberto

INFORMAÇÕES DO CAFÉ

 

Notas Sensoriais

Aroma de chocolate, frutas cítricas, ervas,  acidez suave, doçura persistente, corpo aveludado.

Safra

2017

Nota

92,08