COOPERATIVA AGROPECUÁRIA CENTRO SERRANA

ROD. PEDRO COLA, KM 4,5 - (28) 3546-1566

VENDA NOVA DO IMIGRANTE - ES

CNPJ: 27.942.085/0042-51

José Louir Valani

MUNIZ FREIRE-ES

LOCALIZADO A 191 KM DE VITÓRIA, NO CAPARAÓ CAPIXABA, ESTÁ O MUNICÍPIO DE MUNIZ FREIRE, QUE TEVE COMO UM DOS PRIMEIROS DESBRAVADORES, EM MEADOS DE 1846, O CAPITÃO MACHADO SANTIAGO LOUZADA. A FERTILIDADE DO SOLO PARA O CULTIVO DE CAFÉ E CEREAIS, ALÉM DAS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS, FORAM AS CAUSAS DO MOVIMENTO MIGRATÓRIO QUE, ANOS MAIS TARDE, PROPICIOU O DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO. MUNIZ FREIRE FOI COLONIZADO EM SUA MAIORIA POR ITALIANOS, QUE FORAM TRABALHAR NAS LAVOURAS DE CAFÉ DA REGIÃO. O MUNICÍPIO FOI CRIADO OFICIALMENTE EM 11 DE NOVEMBRO DE 1890, AO SER DESMEMBRADO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM, SOB A DENOMINAÇÃO DE ESPÍRITO SANTO DO RIO PARDO. O NOME FOI ALTERADO EM 30 DE NOVEMBRO DE 1896, EM HOMENAGEM AO REPUBLICANO MONIZ FREIRE, VÁRIAS VEZES PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA, SENADOR E GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO.

 

ALTO AMORIM

 

NA TERCEIRA GERAÇÃO DE AGRICULTORES NA REGIÃO, O PRODUTOR JOSÉ LOUIR VALANI,  53,  CUIDA HÁ 27 ANOS DA PROPRIEDADE HERDADA DOS PAIS, FRANCISCO E MARIA ANTONIETA. DURANTE ESSE TEMPO, ELE DIVIDE ESSA TAREFA COM A MULHER, EMÍLIA MUNIZ DA SILVA VALANI, 55, E JUNTOS ELES EVOLUEM A CADA DIA NA PRODUÇÃO DE CAFÉS ESPECIAIS. 


“A MINHA INTENÇÃO, DEPOIS QUE NOS CASAMOS, SEMPRE FOI DE CRESCER, MELHORAR A PRODUÇÃO COM MUITAS DIFICULDADES, AUMENTAR A QUALIDADE. AÍ FIZ ESTUFA, MAS NÃO CONSEGUI. BOTEI SECADOR E NÃO CONSEGUI, NÃO DAVA NEM BEBIDA DURA. DEPOIS VIERAM OS AGRÔNOMOS, OS AMIGOS DA COOPERATIVA E ME AJUDARAM A MELHORAR. ELES FALARAM PARA COLOCAR O DESPOLPADOR E FOI O QUE VIROU A CHAVE. HÁ OITO ANOS, EU NEM SABIA O QUE ERA CAFÉ DE QUALIDADE, CAFÉ 6, 7”, LEMBRA O PRODUTOR.


DEMONSTRANDO MUITO CONHECIMENTO DE SUA LAVOURA, EM APENAS DUAS SAFRAS FAZENDO TRATO PÓS-COLHEITA PARA CAFÉS ESPECIAIS, O RESULTADO JÁ É PERCEBIDO NAS XÍCARAS. NA PROPRIEDADE, TODAS AS VARIEDADES TÊM DADO EXCELENTE BEBIDA E VALANI TEM ANGARIADO PRÊMIOS. ELE LEMBRA QUE, NA SAFRA DE 2017/18, O OBATÃ RENDEU UMA BEBIDA DE ALTA PONTUAÇÃO NO PROTOCOLO SCA. INAUGURANDO OS MICROLOTES NA REGIÃO DO CAPARAÓ, FOI O CAMPEÃO DO CONCURSO DE MUNIZ FREIRE 2018, COM UM  BLEND DE CATUAÍ 2SL COM OBATÃ. 


A MÉDIA DE PRODUÇÃO NA SAFRA DE 2017/2018 CAIU DE 280 PARA 200 SACAS,  MAS POR UMA RAZÃO. “OPTEI POR CORTAR 8 MIL PÉS E RENOVAR A LAVOURA COM PODAS PROGRAMADAS, MINHA PRODUÇÃO É MUITO BOA, DE PRODUTIVIDADE ESTÁVEL”, EXPLICA VALANI. EM MEIO A DIVERSAS FLORADAS E VARIADAS ALTITUDES, SURGEM CAFÉS TARDIOS. ENQUANTO AS FLORADAS PRECOCES TÊM DADO CAFÉS DE 82 A 84 PONTOS, OS GRÃOS DE MAIOR ALTITUDE NO TERRENO  ALCANÇAM 90 PONTOS. 


SOBRE O CUIDADO DA COLHEITA, VALANI LEMBRA QUE, ANTES DO SECADOR, NEM NA LONA COLOCAVAM O CAFÉ. JÁ A PARTIR DO SECADOR, O PRODUTOR MUDOU A FORMA DE AGIR, ENTENDEU QUE O CAFÉ É ALIMENTO E NÃO PODE IR NO CHÃO, E AGORA SEMPRE USAM O PANO. A HUMILDADE É UMA CARACTERÍSTICA PRESENTE O TEMPO TODO NA FALA DO PRODUTOR, ALÉM DO DESEJO DE APRENDER COM TODOS QUE VISITAM A PROPRIEDADE.


“ACHAMOS A VEIA DE FAZER O CAFÉ ESPECIAL, AGORA É MANTER E MELHORAR, CUIDAR DE FAZER UMA TULHA ADEQUADA, TERREIRO SUSPENSO, PAGAR AS CONTAS DA FAMÍLIA”, AFIRMA, ACRESCENTANDO O QUE ACREDITA SER NECESSÁRIO PARA MANTER UMA BOA GESTÃO FINANCEIRA. “A PRIMEIRA COISA É DAR UM TRATO BOM PARA A LAVOURA PRODUZIR TODO ANO. PARA MIM, COLHER MUITO EM UM ANO E NADA NO OUTRO, NÃO BATE BEM. DAÍ, É TENTAR MELHORAR. É MAIS GASTO, MAS O LUCRO VEM, MESMO O PREÇO NÃO SENDO SEMPRE BOM, O MERCADO É BALANCEADO.”


SUCESSÃO GARANTIDA


O CASAL TEM TRÊS FILHOS: GRACIELE, 26, ATUA COMO VETERINÁRIA EM OUTRA CIDADE DAS MONTANHAS; LUCAS, 23, É ESTUDANTE DE ENGENHARIA NO RIO DE JANEIRO E RAFAEL, 18, SEGUE COM OS PAIS NO PLANO DE SUCESSÃO DA PROPRIEDADE. O CAÇULA CONHECE TODA PRODUÇÃO E NÃO DESGRUDA DE JOSÉ LOUIR NO CUIDADO DOS TALHÕES.


“QUANDO FUI PARA A ESCOLA TÉCNICA NÃO TINHA EXPECTATIVA DE FICAR NA ROÇA, MAS COM O DECORRER DO TEMPO, QUE A GENTE VAI ESTUDANDO, QUANDO EU SAÍ, MEU OLHAR SOBRE A PROPRIEDADE É OUTRO, AGORA É SEMPRE ESTAR AQUI AJUDANDO” DECLARA RAFAEL.


QUESTIONADO SOBRE O PRÓXIMO PASSO, SOBRE O CONHECIMENTO PARA APLICAR NA PROPRIEDADE, O JOVEM AFIRMA: “ACHO INTERESSANTE SABER PROVAR O CAFÉ DEPOIS DE TORRADO E SABER O QUE A GENTE ESTÁ SERVINDO, FAZER MAIS CURSOS PARA ISSO. QUERO SABER AVALIAR NOSSO CAFÉ, PARA ENTENDER O VALOR QUE O MERCADO DÁ”.

INFORMAÇÕES DA FAZENDA

 

Altitude

830 a 1200 m

Processo de produção

Colheita seletiva

Área Plantada

26.000 pés

Variedade do lote

Catuaí 44, 2SL e Obatã

Processamento

Via Úmida - Cereja Descascado

Secagem

Terreiro Coberto

Época de Colheita

Junho a Dezembro